Jesus vence as procelas do mundo

Paiva Netto 

Por pior que seja a tormenta, Jesus sempre conduzirá e fortalecerá os que, amando-O e perseverando além do fim, encontrarão as soluções para as dores dos povos, pois Ele calará os ventos, acalmará os mares e estabelecerá uma duradoura bonança. Vamos à extraordinária passagem bíblica que motiva essas nossas reflexões:

Jesus aplaca a tempestade

(Evangelho, consoante Mateus, 8:23 a 27; Marcos, 4:35 a 41; e Lucas, 8:22 a 25) 

“Aconteceu que, num daqueles dias, Jesus tomou uma barca, acompanhado pelos Seus discípulos. E eis que se levantou no mar tão grande tempestade de vento que as ondas cobriam a barca, enquanto Jesus dormia na popa, sobre um travesseiro. Os discípulos O acordaram aos brados, dizendo: Salva-nos, Senhor, porque nós vamos morrer! E Jesus lhes respondeu: Por que temeis, homens de pequena fé? Então, erguendo-se, repreendeu os ventos e o mar; e se fez grande bonança. Aterrados e cheios de admiração, os discípulos diziam uns aos outros: Afinal, quem é este, que até o vento e o mar Lhe obedecem? 

Jamais desistir do Bem

A Esperança não morre nunca! Essa inspiração me veio à mente, no início da década de 1980, ao assistir, na televisão, a um moço dizer ter perdido a fé no futuro. Não me considero poeta. Mas tomei da caneta e ousei estes simples e despretensiosos versos, depois musicados pelo maestro legionário Vanderlei Pereira:

A Esperança não morre nunca!

A Esperança
não morre nunca!
Nunca!
Não morre, não!
Pois, como a Vida,
que é eterna,
mãe tão fraterna,
pode morrer?!
Não, não morre
nunca!
Não morre, não,
a Esperança no coração!
A Esperança é Jesus!

Combater a apatia

Pelas veredas da existência espiritual-humana, quantas vezes nos deparamos com dificuldades, das quais — pensávamos todos — não haveríamos de restar? “Ah, meu Deus, que situação! Se eu vou nessa direção, crio problemas aqui; se vou em frente, crio problemas na direção oposta; se viro pra cá, aborreço esse ou aquele”. 

Aí você vai dormir, toma um bom banho quente ou frio (conforme o gosto) e, no outro dia, descobre uma solução ou aparecem outras demandas para resolver e, então, se surpreende: “Ih, até havia esquecido: aquilo que me parecia uma enormidade já passou! Aquela outra situação teve um bom desfecho! Já sei como superar tal percalço!” 

Não se trata de um passe de mágica, tampouco incentivo a quem quer que seja a desviar a cara dos desafios reais que se apresentam. Todavia, quando estamos decididamente empenhados em defrontar os embates diários, os Amigos Espirituais — conhecidos ainda por Almas Benditas, Espíritos Guias, Numes Tutelares… — também operam os seus feitos e se aproximam de nós com elevadas sugestões, intuindo-nos a enxergar caminhos antes despercebidos. Basta acreditar nesse apoio invisível e estabelecer uma sintonia sublime com nossos Anjos Guardiães para, de fato, contar com eles. 

No entanto, ainda há alguns — e respeitamos os seus motivos — que acidamente retrucam: “Eu não creio nessa coisa de Esperança”.

Porém, qual o contraponto em suas propostas? Com frequência, recorre-se a um vazio existencial. Contudo, não podemos aceitar o desalento, o derrotismo, a apatia, o desprezo da criatura por si própria e por seus pares como saídas para quaisquer crises. Sempre tem de haver Esperança! E, acima de tudo, a firme vontade de sobrepujar as intempéries da vida. A questão é querer fazer o Bem, fazer, mas fazer certo! 

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

Ninguém está perdido 

Paiva Netto 

Em meu livro Jesus, o Profeta Divino (2011), faço esta provocação: vocês querem vencer-se e vencer? Deixem Jesus coexistir em seus Espíritos e Maria Santíssima confortar-lhes maternalmente os corações nas horas rudes da jornada humana.

De fato, ninguém se encontra irremediavelmente perdido ou abandonado neste mundo.

Não percamos de vista o convite feito pelo Provedor Celeste para sobrepujarmos quaisquer dificuldades que surjam no caminho. Ele prometeu, em Seu Evangelho, consoante Mateus, 21:22 e 17:20: “Tudo aquilo que pedirdes na prece, crede que haveis de receber e vos será concedido. Se tiverdes Fé do tamanho de um grão de mostarda, direis a este monte: Sai daqui, lança-te ao mar, e assim acontecerá. Nada vos será impossível”.

Ó Divino Chefe, Cabeça da humanidade, quais são as montanhas que a Fé Realizante pode afastar de nossa trajetória? Sabemos pela sagrada intuição — que é a Tua voz em nós — a resposta: o desespero, a falta de dinheiro, a carência sob qualquer aspecto, as enfermidades (do Espírito, do corpo e da mente), o desamor, a incompreensão, a calúnia, a infâmia, a fome e tudo o mais que venha a afligir Teus amados filhos. Por isso ensinou o Irmão Zarur nas lições do Centro Espiritual Universalista (CEU) da Religião do Terceiro Milênio: “Fé é o próprio Deus. Fé é igual a Deus”. 

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

 

Perseverança é sinônimo de Fé 

Paiva Netto 

O Poder do Criador manifesta-se nas criaturas, qualquer que seja a crença ou descrença delas, conforme a generosidade de seus corações. Essa certeza enche de ânimo a Alma dos obstinados no Bem. Perseverança é sinônimo de Fé, virtude que, no dizer do poeta indiano Rabindranath Tagore (1861-1941), amigo de Gandhi (1869-1948), “é o pássaro que sente a luz e canta quando a madrugada ainda está escura”.

Não perder oportunidades

Se soubermos aproveitar cada oportunidade que o Cristo nos oferece, novos caminhos nos serão abertos por Deus.

Esta é a súplica do salmista: “Ensina-me a fazer a Tua vontade, pois Tu és o meu Deus. Que o Teu Espírito de Bondade me conduza pelo caminho reto!” (Livro dos Salmos, 143:10)

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

Vencendo as dificuldades 

Paiva Netto 

Nem só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que provém de Deus. 

Jesus (Mateus, 4:4)

O Cristo, em Sua Oração Ecumênica, o Pai-Nosso, nos fala a respeito do pão de cada dia, isto é, sobretudo, o pão transubstancial, a comida que não perece, o alimento para o Espírito. Quanto ao sustento para o corpo, uma vez abastecida a Alma, havemos de buscá-lo com o nosso esforço próprio, jamais nos esquecendo, porém, de auxiliar o próximo, de encaminhar, por rumos mais luminosos, a quem precisa. Viver a Caridade de Deus representa uma das razões da existência das comunidades na Terra. Conforme escrevi em Jesus, o Profeta Divino (2011), por pior que seja a conjuntura do mundo, não podemos perder a Esperança. Com ela no coração, temos de nos preparar para vencer toda e qualquer dificuldade. 

Alimentar a força da Esperança e da Fé Realizante

Diante das mais variadas situações, em que a dor, a angústia e o desespero chegam, muitas vezes sem avisar, é imprescindível o gesto solidário das criaturas em prestar socorro espiritual e material ao seu próximo. E, ao lado desse apoio imediato, é preciso alimentar a força da Esperança e da Fé Realizante, que movem o ser humano a se manter sob a proteção do Pai Celestial e o estimulam a arregaçar as mangas e concretizar suas mais justas súplicas.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

Sois Luz 

Paiva Netto

Jesus, o Divino Farol a guiar a humanidade pelos milênios, a Luz que não cria sombras, deixou-nos lições extraordinárias para que ousássemos avançar em nossa evolução espiritual. Em Suas vigorosas palavras no Santo Evangelho, demonstrou que poderíamos igualmente iluminar o planeta com os nossos exemplos de autêntica devoção e desprendimento, inspirados em Deus: “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte; nem os que acendem uma candeia a colocam debaixo de um móvel; porém, no velador, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim resplandeça igualmente a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas Boas Obras e glorifiquem o vosso Pai que está nos Céus (Evangelho, segundo Mateus, 5:14 a 16).

Eis a mais preciosa Caridade que a LBV e a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo têm para oferecer ao mundo: para salvarmo-nos, precisamos salvar; para libertarmo-nos, precisamos libertar. É a Lei da Reciprocidade, comum na Sociedade Solidária Altruística Ecumênica que pregamos e procuramos viver como Cidadãos do Universo, portanto, do Espírito: “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas” (Boa Nova do Cristo, consoante Mateus, 7:12).

Cada espaço conquistado pelo Amor é perdido pelo ódio. 

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

Print Friendly, PDF & Email
COMPARTILHAR
Artigo anteriorPERNAMBUCO PRORROGA O RECOLHIMENTO DO ICMS DO SIMPLES NACIONAL POR 90 DIAS
Próximo artigoVEREADOR E MÉDICO ORESTES NEVES E AS ORIENTAÇÃO PARA PREVENÇÃO DO COVID-19 (COM VÍDEO)
Esequias Cardoso
Esequias Cardoso foi policial civil durante 10 anos, é jornalista de acordo com o registro profissional nº 7052/PE, é professor concursado da rede oficial de ensino do Estado de Pernambuco, graduado e pós graduado em História, pela Autarquia de Ensino Superior de Arcoverde - AESA e Universidade de Pernambuco - UPE respectivamente. Também é pós graduação em Gestão e Coordenação em Educação pela Universidade de Pernambuco - UPE. Atualmente faz Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal de Campina Grande- Campus Sumé-Paraíba PARA ENTRAR EM CONTATO CONOSCO LIGUE (87) 9.9648.1349 ou 9.9139.9084 (whats app)

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça um comentário!
Coloque seu nome aqui