AFOGADOS DA INGAZEIRA FUTEBOL CLUBE, O 3º COLOCADO NO CAMPEONATO PERNAMBUCANO DE 2019

Os conhecedores da história do futebol sertaniense, sobretudo do futebol de campo, sabem que Sertânia sempre teve mais tradição futebolística nessa modalidade do que a cidade de Afogados da Ingazeira, isso é inegável, as partidas, que eram sempre um clássico envolvendo o Sport e o América de Sertânia, contra o Guarani de Afogados da Ingazeira, quase sempre terminavam com os times sertanienses vencendo, ou seja, tínhamos sim muito mais  futebol.

Quem não se lembra dos jogos estudantis que eram sempre realizados naquela cidade por ser polo da Gerência Regional de Educação(hoje a sede se encontra em Arcoverde), onde nossos atletas de futsal das principais escolas, Amaro Lafayette e Olavo Bilac, davam show naquela modalidade e até em outras? Eram os tempos áureos do nosso esporte

 VIANÃO, O ESTÁDIO DE AFOGADOS. SERÁ PALCO DA COPA DO BRASIL.

E porque começo essa matéria com esse preâmbulo saudosista? É que hoje, dia 13, me deparei com uma manchete do Jornal do Commércio onde fala sobre a cidade de Afogados da Ingazeira ter um jogo histórico a nível nacional.

É que depois de arrancar o empate por 1×1 com o Náutico nos Aflitos, na última segunda-feira, pelo Campeonato Pernambucano, o Afogados se prepara para encarar o principal jogo em seis anos de história do clube. Hoje, a Coruja recebe o Atlético-AC pela primeira fase da Copa do Brasil, no estádio Vianão, às 20h30,em Afogados da Ingazeira. Anfitrião do duelo, os time sertanejo precisa vencer para garantir a classificação para a próxima etapa da competição. Se avançar, além do valor da cota (R$650mil), importantíssimo para ajudar no orçamento, o clube vai enfrentar o Atlético MG (eliminou o Campinense, ontem, após 0x0 em Campina Grande).

Tudo isso nos faz refletir e indagar: por que Sertânia parou no tempo? O que faltou aos nossos atletas? O que faltou para o Sport, o América, a seleção de Sertânia, para continuasse com o pique que tinham os nosso atletas? Por que não estamos na elite do futebol pernambucano? Por que nadamos nadamos e morremos na praia?

A resposta é simples meu caro leitor. Falta visão política dos nosso governantes. Enquanto Afogados da Ingazeira cresceu e cresceu muito em todos os aspectos, e não por ser polo, mas por ter políticos que pensaram e pensam no coletivo, que perceberam que para colocar a cidade em destaque é preciso esquecer família, esquecer “grupinho” e focar no seu povo, Sertânia temos exatamente o contrário disso. As picuinhas políticas, o assistencialismo e coronelismo é a nossa tônica.

“Em Afogados tem sim um time que leva o nome da cidade, já em Sertânia quando tentaram formar um time para disputar alguma coisa não chegou muito longe e ainda “encheram” de forasteiros. Tudo isso porque não investem no futebol de base, nossos jovens, alguns deles, estão se entregando as drogas, faltam políticas públicas e sobram assistencialismo, inercia e subserviência, a começar pelo atual secretário de Juventude, Esporte, Cultura e Turismo, o vereador Zuza do Padre, apesar de ser ex-jogador de futebol, é incompetente para aquela pasta e todo mundo sabe que está ali por “FAVORES POLÍTICOS”, e talvez por isso não manda em nada e quase nada faz, quase nada cria e resume seu papel a ser um verdadeiro ventrículo do prefeito Ângelo Ferreira. Alguém tem dúvida disso? Basta olhar o que criou sua pasta durante esses quase 4 anos. Os projetos ali vivenciados, foram muitos deles, do governo federal ou projetos que já estavam andando na administração anterior da de Ângelo Ferreira”, disse um jovem atleta sertaniense que aos 21 anos foi até chamado para fazer teste um dos times grandes de Pernambuco, mas infelizmente não ficou porque segundo ele, bebia muito e teve que parar de jogar. Essa é a realidade em Sertânia.

Está na hora de investir nos nossos meninos, esqueçamos um poucos obras com altas licitações e que “prestam” apenas para o governo aparecer bem na fita. É importante investir na estrutura física de nossa cidade, mas muito mais importante é investir no nosso povo e nas suas futuras gerações. A atual gestão está devendo isso. Basta olhar para a educação do município, o IDEB despencou e ali, exatamente ali que está o futuro de Sertânia. Lembremos o ex-presidente dos Estados Unidos da América: Grandes mentes discutem ideias; mentes medianas discutem eventos; mentes pequenas discutem pessoas.

Vi a manchete do JC e me deu uma tristeza porque me veio inúmeras indagações. Quando chegaremos a ter futebol de verdade como Afogados da Ingazeira e Arcoverde para nos colocar na elite do futebol? Quando teremos governantes realmente comprometidos com a nossa juventude? Quando deixaremos de ser um feudo? Sem cultura inclusiva, sem esporte que insira nossos jovens em suas práticas, quando??

Enquanto isso sertanienses vamos continuar aqui a torcendo por nossos vizinhos.

Viva Afogados!!! Viva seu futebol!!

 

Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça um comentário!
Coloque seu nome aqui