COLUNA WEDSON SILVA

Usando narrativas para mudar a si mesmo

Trabalhar com alegria

( Autor desconhecido com adaptação de Paulo vieira)

Havia uma fazenda onde os trabalhadores viviam tristes e isolados uns dos outros. Eles estendiam suas roupas surradas no varal e alimentavam seus magros cães com pouco do que sobrar das refeições.

Todos os que viviam ali trabalhavam na fazenda do senhor joão, dono de muitas terras, que exigia trabalho duro e pagava muito pouco por isso. Um dia, chegou ali um novo empregado, cujo apelido era Zé Alegria, um jovem agricultor em busca de trabalho. Foi admitido e recebeu, como todos, uma velha casa para morar enquanto trabalha-se ali.

O jovem, vendo aquela casa suja e abandonada, resolveu dar-lhe vida nova. Cuidou da limpeza e, em suas horas vagas, lixou e pintou as paredes com cores alegres e brilhantes, além de plantar flores no jardim e nos vasos. Aquela casa limpa e arrumada destacava-se das demais e chamava a atenção de todos os que ali o passavam.

Ele sempre trabalhava alegre e feliz na fazenda, por isso tinha o apelido de Zé Alegria. Os outros trabalhadores lhe perguntavam: “como você consegue trabalhar feliz e sempre cantando com pouco dinheiro que ganhamos?” O jovem olhou para os amigos e disse: “Bem, este trabalho hoje é tudo que eu tenho. Eu posso escolher como viver e, em vez de criticar e reclamar; prefiro agradecer por ele. Quando comecei a trabalhar aqui, percebi as condições e o tratamento que as pessoas recebiam e, como ninguém me obrigou a aceitar este emprego, não tem sentido eu ficar reclamando. Não é justo que, agora que estou aqui, fique criticando. Pelo contrário: farei com capricho e amor tudo aquilo que aceitei a fazer”. Os outros, que acreditavam ser vítimas das circunstâncias, abandonadas pelo destino, olhavam admirados e comentavam entre si: “Como ele pode pensar assim?”

O entusiasmo do rapaz, em pouco tempo, chamou a atenção do fazendeiro, que passou a observá-lo  a distância. Um dia, o seu João pensou: Alguém que cuida com tanto carinho da casa que emprestei e da roça que me pertence certamente cuidará com o mesmo capricho da minha fazenda como um todo. Ele é o único aqui que pensa como eu. Estou velho e preciso de alguém que me ajude na administração da fazenda.” Num final de tarde, o seu João foi até a casa do rapaz e, depois de tomar um café bem fresquinho, ofereceu ao jovem o cargo de administrador da fazenda, convite que o rapaz aceitou prontamente.

Com o novo cargo, vieram também uma nova casa, um novo salário e inúmeras possibilidades. Seus amigos e colegas logo começaram a falar que ele era um grande puxa-saco, pois tinha convidado aquele crápula para tomar café em sua casa. Passado algum tempo como administrador, seus ex-colegas e atuais subordinados lhe chegaram para comentar como ele era sortudo e que tudo dava certo para ele. A resposta do jovem veio logo: “Em minhas andanças, meus amigos, eu aprendi muito, e o principal é que não somos vítimas do destino. Existe em nós  o livre-arbítrio, e com ele a capacidade de realizar e dar vida nova a tudo que nos cerca. E isso depende de cada um”. Continuou ele: “Toda pessoa é capaz de efetuar mudanças significativas no mundo que a cerca”.

“Mas o que geralmente ocorre é que, em vez de agir, jogamos a responsabilidade da nossa distinta sobre os ombros alheios. E esperamos que eles atendam as nossas expectativas, que eles mudem, que eles sejam e ajam como nós queremos. Sempre encontramos com alguém a quem culpar pela nossa infelicidade, esquecidos de que ela só depende de nós mesmos. Desta feita, eu decidi mudar a minha vida e, para que isso aconteça, sei que não poderei mudar ninguém que não seja eu mesmo. essa é a única maneira de colher mudanças positivas em longo prazo. Eu consegui o maior desafio do mundo. Eu mudei a mim mesmo, e hoje sou responsável pela minha vida e pelo meu destino”.

Se Deus é criador, nós somos cocriadores e criadores do nosso próprio destino e de tudo que existe ao nosso redor. Aquilo que humanizados na mente, materializamos no mundo real, pois tudo começa do pensamento.

  1. Harv Eker sempre falava da fórmula que leva ao sucesso. “Pensamentos geram sentimentos, sentimentos geram ações e ações geram resultados”. Sei que não tem como trocar os frutos de uma árvore, isso é impossível, mas tem sim como trocar as raízes, pois novas raízes vai fazer com que a árvore fique mais forte, e que dê frutos de qualidade. “Novos pensamentos geram novos sentimentos, novos sentimentos geram novas ações e novas ações geram novos resultados”.

Abundância e prosperidade é a essência do universo, mas o que acontece é que muitos criam barreiras que desviam e bloqueiam a abundância e a prosperidade que o universo quer presenteá-las. O universo não entende palavras, apenas entende vibrações. Pense no sucesso, na abundância e em uma vida próspera e, haja como se já a tivesse, que assim será.

Nós nascemos para sermos seres prósperos e para viver em abundância.

Wedson Silva.

Print Friendly, PDF & Email
COMPARTILHAR
Artigo anteriorCOLUNA PAIVA NETTO: A HORA DE COMEÇAR
Próximo artigoMPPE ORIENTA CIDADÃOS SOBRE MATRÍCULA ESCOLAR EM 2020
Esequias Cardoso
Esequias Cardoso foi policial civil durante 10 anos e hoje é professor concursado da rede oficial de ensino do Estado de Pernambuco, graduado e pós graduado em História, pela Autarquia de Ensino Superior de Arcoverde - AESA e Universidade de Pernambuco - UPE respectivamente. Também é pós graduação em Gestão e Coordenação em Educação pela Universidade de Pernambuco - UPE. Atualmente faz Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal de Campina Grande- Campus Sumé-Paraíba PARA ENTRAR EM CONTATO CONOSCO LIGUE (87) 9.9648.1349 ou 9.9139.9084 (whats app)

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça um comentário!
Coloque seu nome aqui