O vereador Dóia, que representa a comunidade da zona rural sertaniense, em particular o distritos de Rio da Barra, povoado de Waldemar Siqueira, Caroalina, Várzea Velha e todo o seu entorno, foi a tribuna da Câmara dos Vereadores e denunciou fatos escabrosos com relação a atual administração municipal, fatos preocupantes de abandono em todas as áreas, estradas, falta de médicos, falta de água, falta de abastecimento para aquelas regiões e outras coisas mais.

Mas um fato que chamou atenção entre tantos da atual gestão, que dava aulas de administração pública quando era oposição, foi a denúncia daquele vereador com relação a associação do Barro Vermelho, formada por mais de 90 pessoas e que sem motivo aparente, foi proibida pelo gestor municipal de fazer reuniões na escola municipal daquela localidade. O vereador pediu a gestão municipal que explicasse tal proibição. Um fato estarrecedor.

Pelo que se sabe há muito tempo as reuniões dessa associação sempre foi realizada nesta escola, no entanto agora estão sem puder se reunir simplesmente porque a prefeitura de Sertânia proibiu.

Outros fatos denunciados pelo vereador Dóia diz respeito a secretaria de agricultura do município. Dóia lembrou que o atual secretário, o vice prefeito Antônio Almeida, quando era vereador vivia criticando a gestão anterior, e agora a frente da pasta, está deixando a desejar. O vereador Dóia diante do descaso e o estado de caos em que vive a zona rural do município, apresentou uma solicitação para o secretário comparecesse aquela Casa Legislativa para se explicar sobre toda essa inércia, já que quando era oposição, o atual secretário criticava tudo.

ASSISTA NA ÍNTEGRA O DISCURSO DO VEREADOR DÓIA NA CÂMARA DE VEREADORES, ONDE ELE DENUNCIAR O CAOS VIVE A POPULAÇÃO DA ZONA RURAL SERTANIENSE.

mas tudo isso é reflexo de uma administração caótica, que tanto prometeu e hoje patina sem um norte. O vereador Dóia tem razão em cobrar, ele representa a angustia de toda essa comunidade, que sofre com falta de médicos, de água, de estradas dignas.

“Esta semana fui procurado por professores que pediram para que eu cobrasse aqui as cadernetas. Cadê as cadernetas para que este possam realizar seus trabalhos?”, denunciou perguntando o vereador Dóia.

Este é o quadro trazido pelo vereador, este é o quadro que a população vive, trsite realidade, que muitas vezes tentam esconder com peças midiáticas e com falatório na tribuna da câmara e na rádio. Se tivesse tão bom, o representante do MPPE não precisava ter “convidado” o prefeito Ângelo Ferreira para assinar um acordo para que este levasse médico para toda essa zona rural, algumas com 7 meses sem médicos.

Importante perguntar ao secretário quando este for a Câmara de Vereadores por que o matadouro parou de funcionar, mesmo depois de tanta propaganda de que era um matadouro modelo. “Simplesmente parou e não houve nenhuma explicação, os sertanienses estão consumindo carne de qualidade duvidosa. pois todo mundo sabe, que o abate clandestino está havendo. Isto o prefeito Ângelo Ferreira não fala em seu programa de rádio, apenas o que é conveniente para que ele apareça bem na fita. Mas o povo, na sua sapiência está vendo tudo”, disse um funcionário público municipal,q ue por razões óbvias pediu para manter-se no anonimato.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorHOMEM É MORTO A FACADAS APÓS DISCUSSÃO NA CIDADE DA PEDRA
Próximo artigoGRAVE ACIDENTE DE CARRO EM TACAIMBÓ MATA EX VEREADOR ZEQUINHA DOS CORREIOS
Esequias Cardoso
Esequias Cardoso é professor concursado da rede oficial de ensino do Estado de Pernambuco, graduado e pós graduado em História, pela Autarquia de Ensino Superior de Arcoverde - AESA e Universidade de Pernambuco - UPE respectivamente. Também é pós graduação em Gestão e Coordenação em Educação pela Universidade de Pernambuco - UPE. Atualmente faz Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal de Campina Grande- Campus Sumé-Paraíba PARA ENTRAR EM CONTATO CONOSCO LIGUE (87) 9.9648.1349 ou 9.9139.9084 (whats app)

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça um comentário!
Coloque seu nome aqui