Lamentavelmente Sertânia vive sob um governo do caos. Nunca na história política do município o TCE determinou a um prefeito um valor máximo para se comprar combustível, tirando sua autonomia administrativa, por achar “estranho” o valor dessa compra; nunca na história política do nosso município um prefeito teve que cancelar uma seleção com indícios de vícios e que poderia favorecer a um grupinho; nunca na história política de Sertânia se viu tantas licitações milionárias e que estão sendo alvos de fiscalização do TCE; nunca se viu tanto DESMANTELO; nunca se viu um prefeito, que parece se achar dono da verdade, caracterizando-se como o senhor de tudo, tal qual o REI SOL, em alusão ao Rei Luís XIV, apelidado assim de “o Grande” e “Rei Sol”, por seu reinado ter durado 72 anos e ser altamente centralizador, nenhum outro monarca ocupou tanto tempo um trono, mas vale salientar que isso foi lá atras, século 16 e 17, hoje não se pode mais admitir governos déspotas, principalmente onde se vive uma democracia, mas, pelo que parece, o Prefeito de Sertânia prefere ignorar a existência da Lei, prefere desobedecer a estes poderes constituídos, TEIMANDO em não abrir concurso público, preferindo CONTRATAR mais de 500 servidores para o município, ignorando que jovens, pais de família e tantos outros cidadãos, estão ansiosos para prestar o tão esperado concurso público, o qual foi recomendado pelo Promotor de justiça de Sertânia no dia 9 de novembro de 2017, e estabeleceu o prazo de 365 dias para que o chefe do executivo contratasse uma empresa de NOTÓRIA IDONEIDADE, mediante licitação, para realização desse concurso público na cidade de Sertânia para cargo de natureza efetiva.

Mas como era de se esperar, o prefeito “empurra com a barriga”, a realização do concurso, descumprindo assim a RECOMENDAÇÃO nº 15/2017, datada de 9 de novembro de 2017 e assinada pelo promotor de Justiça Júlio César Cavalcanti Elhimas.

OLHA AÍ SERTANIENSE PARTE DA RECOMENDAÇÃO DO MPPE DIRECIONADA AO PREFEITO DE SERTÂNIA. JÁ SE PASSARAM 365 DIAS E ATÉ O MOMENTO, DESCUMPRINDO O MPPE, NADA DE CONCURSO.

O sertaniense consciente, está observando o caos que vive essa gestão, observando quais os reais motivos do prefeito Ângelo Ferreira teimar em não cumprir essa recomendação. O prefeito ADORA colocar os seus.

Para o leitor ter uma ideia, a prefeitura do nosso município tem mais de 500 pessoas indicadas, muitos deles sem competência e quase nenhuma escolaridade, mas estes não tem defeito, estão do seu lado. Vergonhoso isso sertaniense, pois, como mencionado acima, pais de famílias, estudantes recém formados e tantos outros cidadãos, estão estudando a espera desse concurso.

Não bastou ele acabar com algumas funções de baixa escolaridade, deixando-as sob sua tutela, ou seja, as funções de garis, serventes, vigilantes, auxiliar de serviços de matadouro e tantos outros, continuarão a existir, no entanto, serão contratados por ele, pelo prefeito, e é claro que quem votou contra ou não concorda com seu jeito de fazer política e o critica, jamais assumirá estes cargos. Talvez por isso que na recomendação do MPPE, o mesmo faz questão de frisar que a empresa contratada para ministrar este concurso deverá ser uma empresa comprovadamente de NOTÓRIA IDONEIDADE.

NUNCA NA HISTÓRIA POLÍTICA DE SERTÂNIA TCE DETERMINOU VALOR MÁXIMO PARA QUE O PREFEITO COMPRASSE COMBUSTÍVEL.  ESTÁ AÍ DESTAQUE NA PRIMEIRA PÁGINA DO DIÁRIO OFICIAL DO TCE. COMO SEMPRE, AO INVÉS DE ASSUMIR A RESPONSABILIDADE JOGOU A CULPA EM DOIS SERVIDORES MUNICIPAIS E NO PRÓPRIO TCE. VERGONHOSO

Claro que todo sertaniense tem que está atento mesmo, pois vivemos numa cidade onde o prefeito a dividiu, dividiu entre aqueles que estão ao seu lado, que o bajulam e entre aqueles que não precisam bajulá-lo e que são ou querem ser independentes, e para isso querem prestar um concurso isento de qualquer influência.

Então prefeito está na hora de uma vez por todas abrir o tão esperando concurso público cumprindo a recomendação do Ministério Público de Pernambuco, está na hora de esquecer as manias da velha república, onde os coronéis mandavam e desmandavam, praticando a política dos governadores, indicando cargos e empregando os seus para depois cobrarem dele o voto, caracterizando assim, o voto de cabresto.

Vamos aguardar que ele cumpra a referida comendação, já lá se vão um ano e três meses o prefeito não fala nisso.

Imoral!! Desenha bem a dimensão do tipo de governo que temos: um governo caótico, que faz as coisas a seu bel prazer, priorizando alguns poucos e excluindo grande parte da população.

Isso é fato!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça um comentário!
Coloque seu nome aqui