BARRAQUEIROS RECLAMARAM DO TRATAMENTO DA EMPRESA CONTRATADA PELO PREFEITO DE SERTÂNIA

Como é de costume o Prefeito de Sertânia Ângelo Ferreira não valoriza os comerciantes sertanienses. Apesar da nossa cidade contar com  algumas distribuidoras de bebidas, que juntamente com outras empresas, poderiam sim, promover a distribuição de bebidas para a 46ª Exposição de Carpinos e Ovinos de Sertânia, o prefeito foi buscar em Serra Talhada uma empresa para vender bebidas aos barraqueiros e o Tribuna do Moxotó recebeu muitas reclamações e denúncias desses mesmos barraqueiros com relação a essa empresa. Barraqueiros estes que ralaram para cumprir com seus compromissos e pagar a essa tal distribuidora da cidade de Serra Talhada.

Como fez com a empresa de pneus, onde o prefeito Ângelo Ferreira comprou na cidade de Itaptim, cidade menor comercialmente do que Sertânia, mais de 400 mil reais de pneus (ver matéria), empresa esta investigada pela Polícia Federal e considerada inidônea pelo Tribunal de Contas, ele agora foi buscar em Serra Talhada a empresa denominada, segundo os barraqueiros, de “Pinherinho Bebidas”, a qual de forma ditatorial, comandou toda distribuição de bebidas no parque.

Segundo os barraqueiros, cada um pagou a prefeitura 400 reais pelo chão de suas barracas, e recebeu dessa tal distribuidora de bebidas apenas 10 conjuntos de mesas, e só poderiam comercializar latão Brahma e latinha da Skol, no entanto não poderiam vender Campari e nem wisque Teacher, já que a tal “Pinheirinho” não trabalhava com essas marcas de bebidas. “Quem fosse pego vendendo outro tipo de bebida, que não aquelas  distribuídas por eles, poderia ser penalizado, inclusive, eles mandavam seus trabalhadores olharem nos freezers dos barraqueiros para ver se estes estavam desobedecendo as suas ordens”, disse um barraqueiro revoltado que sempre recebia no meio da festa a “visita” desses auxiliares da empresa.

Já outro barraqueiro  narrou para o Tribuna do Moxotó, sempre pedindo para não ser identificado, que uma caixa de rum era vendida a eles com um valor altíssimo, ou seja, uma caixa de rum estava sendo vendida a 148 reais, 68 reais a mais do que o valor de mercado aqui mesmo em Sertânia. “O pior nisso tudo é que soubemos que essa mesma empresa colocou um ponto de venda aqui no parque e vendia a pessoas do povo as bebidas pelo mesmo valor que passava para gente. Como concorrer com uma distribuidora aqui dentro do parque? Todos sabiam disso, mas ninguém podia dizer nada”, disse.

Mania do atual administrador de não querer contar ou prestigiar comerciantes de Sertânia, ou por não serem do seu grupo político ou por achar que estes não dão conta de festa desse tipo. O empresário Paulo Roberto, por muito tempo, foi o responsável por essa distribuição e dava conta, uma grande vantagem era de que o dinheiro ficava aqui e não escoava para outras cidades, com agora, todo o dinheiro dos barraqueiros e da população sertaniense foi para a cidade de Serra Talhada. Isso o prefeito não diz. Aliás, ele deveria explicar a população todos esses fatos.

São esses absurdos que devem ser denunciados e que deveriam fazer o sertaniense refletir sobre as prioridades desse governo, onde ele está sempre contratando empresas e pessoas de fora, os quais estão levando nosso dinheiro, através desses serviços, que deveriam está sendo prestados por sertanienses, oferecendo assim emprego e renda a todos. Mas na visão míope do prefeito de Sertânia, é melhor trazer gente de fora para trabalhar em eventos e em obras municipais, do que contar com “os contras”.

Essa é a nossa Sertânia!!

Empresa de vigilância do Parque também foi contratada em Garanhuns e temos denúncias a respeito dela. Abordaremos em uma próxima matéria. Aguardem!

2 COMENTÁRIOS

  1. Caro amigo Esequias. Por muito tempo fui barraqueiro aqui em Sertania, nas festas da cidade, e lá no parque da EXPOCOSE, (Por exatamente 27 exposicoes consecutivas), e voce tem conhecimento disso. Quero deixar um esclarecimento, em relação a matéria aqui em foco. TODO tempo os “empresários” da nossa cidade( Mozaniel Dantas, Paulo Roberto, e sua irmã Aninha), TIVERAM o apoio em tudo, das empresas de fora, Caso da PITU, DA 51, caso de Sr.João Coelho(Arcoverde) e de ZU bebidas(tambem de Arcoverde), Alem também de Joao Duque de Serra, que patrocinavam parte do evento. Ou seja, nossos empresários so faziam a FACHADA, meu amigo. Era assim. Porém nunca deixou de existir falhas e/ou reclamações. Infelizmente o barrqueiro trabalha muitp, e o lucro é pouco. Muitos colocam por vicios mesmo. Eu que o diga.

  2. E ultimamente ta pior pros barrqueiros, devido a muita gente entrar com bebidas, gelo,tira gosto e ate mesas no parque, diminuindo assim, as vendas e lucros dos barraqueiros. O acesso é livre. Fazer o quê? Um abraço amigo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça um comentário!
Coloque seu nome aqui